Uma viagem de Fusca ao litoral norte de São Paulo (Parte II – Ubatuba)

Depois dos quatro dias maravilhosos em São Sebastião partimos para Ubatuba. A viagem é de mais ou menos setenta quilômetros e bem tranquila pra se fazer de Fusca. A viagem à Ubatuba teve um significado especial, o Hugo morou quase um ano nessa cidade e sempre me falou muito de lá, muito mesmo! Sempre disse que era lindo, que era um estilo de vida muito bom, que as praias eram incríveis e etc, etc e etc… Pra falar a verdade, eu achava que isso tudo era muito das memórias afetivas dele sobre o lugar, não quis colocar muitas expectativas com medo de que quando eu conhecesse pudesse ficar decepcionada. Isso não aconteceu! Olha… Que lugar! “quando a gente volta mesmo?!”.

*Mirante Próximo a Praia do Lázaro

No caminho para Ubatuba aproveitamos pra passar nas Ruínas da Lagoínha, fica no bairro da Lagoínha e compõe um pouco da história da cidade, foi o que restou do antigo engenho da fazendo Bom Retiro que produzia cana- de açúcar e café no início do século XIX. Sinceramente, é estranho pra mim, enquanto negra visitar estes lugares, até porque muitos da minha cor foram escravizados em lugares assim, apesar do Capitão Romualdo, dono da fazenda, ser conhecido pelo bom tratamento com seus escravos, ainda assim, era um senhor de escravos e tratá-los “bem” não tira o peso disso. Mas fico feliz de visitar e poder conhecer a história dos lugares e poder tirar fotos sorrindo, como uma turista, e saber que hoje os dias são outros, apesar de às vezes tanto se parecerem com os dias antigos.

*Ruínas da Lagoinha

No nosso primeiro dia o tempo estava muito fechado, aproveitamos pra descansar e à noite fomos passear no centro da cidade, o comércio é bem desenvolvido, e a feira de artesanato localizada numa grande tenda branca, pra mim, foi o que mais me chamou a atenção, lá vê- se de tudo desde produtos realmente artesanais como bijuterias com pedras e biquínis de crochê a produtos para celular e roupas. Se o dinheiro desse eu teria comprado tudo! Mas querer ainda não é poder, levei só uns aneizinhos mesmo porque eu não consigo me segurar com bijuteria. Mas se forem à Ubatuba e tiverem um dinheirinho para gastar, vale à pena. As coisas são baratas. De tudo o que olhamos, pouquíssimas coisas achamos caro.

*Feira de Artesanato de Ubatuba

E por falar em coisa boa e barata temos algumas dicas de como economizar muito no almoço. Na maioria dos dias almoçamos no restaurante Tempero Mania, ele fica localizado no centro, perto do calçadão, lá a refeição sem carne custa R$8,50, é uma comida bem básica em sistema de self- service que é dividido em duas partes, uma parte esta a famosa “mistura” e na outra os acompanhamentos, se você se servir só dos acompanhamentos que geralmente são banana frita, salada (alface, cenoura, beterraba, tomate, pepino, feijão fradinho com abobrinha, couve, frutas, como melancia e laranja e algumas outras variações), macarrão parafuso com carne moída, arroz, feijão, bolinho de legumes ou ensopado de berinjela com carne moída (fiquei com preconceito, mas provei e tava ótimo) e algumas outras coisas, enfim, nada de rebuscado, uma refeição bem básica, se você for vegetariano então, melhor ainda! No primeiro dia eu peguei a “mistura”, acrescentou R$5,00 aos R$8,50, peguei batata frita e um pedaço pequeno de lasanha à bolonhesa, se você quiser comer carne, mesmo assim, ainda sai barato.  Fica a dica para aqueles que viajam mesmo sem dinheiro, como nós!

*Restaurante Tempero Mania

No segundo dia de manhã fomos ao Pier de Itaguá e depois ao Caizão. A praia de Itaguá é ótima pra caminhar, o bairro é bem agradável. O Caizão é lindo! Perdemos um tempinho lá sentados nas pedras conversando e olhando a vista que é maravilhosa!

*Caizão (ou Ponta do Cais)

*Itaguá

À tarde fomos à praia do Cedrinho e olha! Está no meu Top Five de praias mais lindas! Pra chegar é um pouquinho difícil, é mais longe, uma estrada um pouco esburacada, uma trilha pequena, mas vale muito à pena! A praia leva esse nome porque está cercada de Cedros, a madeira dessa árvore é caríssima, mas esse lugar é super preservado e não pode ser cortada nenhuma árvore. É uma praia pequena, mas cercada de natureza e lindíssima, ficaria lá o dia inteiro!

*Praia do Cedrinho

À noite fomos dar nosso rolêzinho no centro e temos outra dica: pensa num pão de queijo bom! E enorme! Eu sempre me frustro com pão de queijo de lanchonete, sempre pequenos e caros, pra mim, que gosto de comer bastante, não vale a pena. Até que fomos na Sucolândia, eu já adorei o lugar porque tem muuuuita variedade de sucos, inclusive tomei suco de cacau pela primeira vez e adorei! Mas ainda ter um pão de queijo delicioso, gigante e à R$6,00?! Aí eu me apaixono!

*Sucolândia

A segunda- feira foi frenética! Um dia de sol! Fomos no máximo de praias que conseguimos! Fizemos algumas visitas rápidas à praia do Perequê- Açu e depois passamos na Barra Seca. A praia de Perequê- Açu sofre muito preconceito por se localizar num bairro mais periférico e pelo fato da praia não ser como as outras de Ubatuba, tão escandalosas de lindas, mas sério, eu adorei! A maré estava bem baixa, então a faixa de areia estava larga, o mar super calmo, muitas amendoeiras espalhadas pela faixa de areia, um clima muito agradável e calmo, gostei tanto que voltamos lá quando estávamos pegando a estrada pra voltar pra casa.

* Praia de Perquê-Açu

*Pereque-Açu

* Praia Barra Seca

Seguimos para a praia do Felix. Todas as praias e lugares que citei à cima o Hugo já tinha ido, serviu de guia turístico, coisa que, aliás, ele tem talento. Mas à praia do Felix ele nunca tinha ido, então ficamos maravilhados juntos com o quanto a praia é incrível, e pela primeira vez em Ubatuba ele não disse: “eu te falei que era lindo!” kkkkkkk. Cara, não dava vontade de ir embora! O mar tava perfeito, o sol na medida certa e a praia é lindíssima!

*Praia do Fêlix

À tarde fomos para Itamambuca. Fomos pela vila, dessa forma é preciso atravessar um pequeno rio para chegar à praia que pode ser atravessado a pé, é raso e muito bonito. Aliás, esse é o grande diferencial de Itamambuca, o encontro do rio com o mar na lateral da praia, o que forma uma correnteza leve que é bem divertido se deixar ser levado, é raso, ótimo para quem não surfa e pra levar as crianças e ir com a família. A praia de Itamambuca é muito atrativa para os surfistas.

*Praia de Itamambuca

*Praia de Itamambuca

Terça foi o nosso último dia. Viagem curta pra lugar bom dá até aperto no coração! Mas é muito bom quando você vai a algum lugar e fica com aquela vontade de voltar. E vamos voltar, com certeza! Espero que de Fusca. Viajar de Fusca é história pra contar pros netos, não é mesmo?! Foi incrível a experiência, nos sentimos muito gratos por tudo.

 

Comentários
Compartilhe...